Vendas

Isto não é Bufallo Wings!

Não vale nunca a pena bater boca com ninguém, ainda mais quando se trata de um cliente

Fui a um Irish pub em minha cidade, que por questões éticas não irei revelar o nome, por se tratar de um mal exemplo de atendimento. Chegando lá, elogiei o local, o ambiente agradável que misturava bar e casa de shows, afinal tinham duas bandas tocando simultaneamente. Adorei a apresentação do salão principal, com mesinhas envoltas por sofás, como nos tradicionais fast-foods australianos e americanos. O chopp tipo stout também era de primeira, e estava ali feliz demais por ser uma noite em que a banda do meu irmão se apresentaria na final de um festival extremamente concorrido, com mais de 100 bandas.

Tudo estava perfeito, até eu me empolgar e chamar um amigo que eu não via há pelo menos 5 anos, para comer algo. No balcão principal, pedi o cardápio e lá encontrei um dos petiscos que mais aprecio na vida. Bufallo Wings!!! Não é nada demais, apenas asas de frango servidas com molho muito picante feitas com diversos condimentos, inclusive açafrão, pimenta do reino, páprica (quando a receita prevê) e outras cositas mais. Nos Estados Unidos, esta é uma comida de boteco de beira de estrada, muito tradicional por sinal. A primeira vez que estive na Florida, indo de Miami para Tampa, parei num posto de gasolina e fui comer algo na lanchonete. Me surpreendi com 4 ou 5 mesas ao lado com a galera se lambuzando com aquelas coxinhas da asa de frango avermelhadas. Pedi para experimentar e para minha indignação, o atendente da lanchonete me disse que a porção era com 20 ou com 50 unidades. Eu pedi a menor, mesmo achando demais. Para minha surpresa e alegria, era tão bom que eu pedi mais 20 e depois mais 20. Acreditem, comi 60 coxinhas da asa de frango com um amigo, regadas a boa cerveja tipo Stalt, na bomba como chopp. Gostei tanto que perguntei ao rapaz que nos atendeu se ele sabia onde eu poderia comprar aquele molho, pois era ele que definia o sabor e dava sentido ao apetite que tive pelo frango. Ele me disse que eles faziam ali, nem tinha uma receita, era algo tradicional que os caminhoneiros adoravam. Pedi que colocasse 10 dólares de molho em garrafas pet para eu trazer para o Brasil.

Bem, te conto tudo isso para destacar o quanto eu apreciava o tal de Bufallo Wings, que por sinal nunca havia encontrado no Brasil, não feito com o mesmo molho que lá na Florida.

Sei de vários lugares que servem esta mesma porção, muito bem servida como no Outback – mas se chama Kokaboorra Wings ou algo assim. Chicken Wings, etc e tal.

Neste pub em que estive com meu irmão, sua banda e outros amigos, para minha alegria o nome dado ao petisco no cardápio era Bufallo Wings, e eu me admirei. Perguntei como era e a garçonete tratou de me narrar aquilo que eu queria ouvir: asas feitas com molho picante exclusivo.

No entanto, eu me decepcionei totalmente: não passava de coxinhas da asa empanadas, secas e sem graça, sem molho, nem sequer apimentadas eram. Eu tratei de avisar a garçonete sobre isso, mas aí é quem vem o pior: a dona do pub se ofendeu com esse cliente “burro” que aqui vos escreve, quando eu disse a ela: Isto não é Bufallo Wings!!! A senhora loira que não sei o nome sequer, saiu de trás do balcão falando alto, pegando logo o cardápio e mostrando para mim, olhe aqui: está escrito Bufallo Wings. E eu então disse a ela, que eu apenas estava fazendo uma constatação e que ela não se exaltasse assim.

Ela então retrucou e me disse que eu estava errado, que não podia dizer aquilo.

Muito bem, vamos imaginar:

1. Imagine se ela me dissesse assim: senhor, pode ser que na Irlanda, o Bufallo Wings seja diferente, e nossa intenção foi fazer esse prato a nossa maneira. Se o senhor quiser, trocamos imediatamente. Sabe o que eu diria: relaxa, é claro. Me traz mais uma Guiness.
2. Imagine se ela não falasse nada diretamente a mim: se ela através da garçonete, pessoa com quem falei inicialmente, me transmitisse o seguinte recado: caro cliente, nossa gerencia quer que nos ajude a melhorar este prato, a faze-lo da forma que é, pois realmente incluímos no cardápio com este nome, mas não sabíamos sua particularidades. Pode nos ajudar com isso? Sabe o que eu faria: levaria 3 ou 4 receitas que tenho, pesquisadas na internet e com amigos dos EUA, para ela aprimorar a receita.
3. Imagine se ela não falasse nada. Sabe o que faria, esqueceria provavelmente e nem escreveria um artigo sobre isso.

Lição que aprendi me colocando no lugar dela e no meu lugar de cliente:
Não vale nunca a pena bater boca com ninguém, ainda mais quando se trata de um cliente. Às vezes ele fala com milhares de pessoas e pode não ser tão ético, relacionando seu nome na lista de estabelecimentos que não recomenda a ninguém.

O que salvou a minha noite, foi que a eCCuS, banda do meu irmão faturou o festival. Show!!!

Mas antes de sair, sabe o que eu fiz... peguei um guardanapo, anotei algo e coloquei por sobre a porção, que não consegui terminar de comer, mesmo tendo apenas 12 asinhas. Sabe o que eu escrevi:

Isto não é Bufallo Wings !!!! E eu... não serei mais vosso cliente!!!

Clientes batem “Asas” quando ficam irritados como “Bufallos”. Pense nisso e muito sucesso!!!

Receba mais conteúdo de Marcelo Ortega em seu e-mail!

Topo

Hey! Não perca nossas novidades!

Se inscreva abaixo e receba os melhores conteúdos gratuitos para seu desenvolvimento, promoções, eventos online e muito mais!