Qualidade de vida

Japão - uma experiência, uma realização!

Ver de perto uma nação que resistiu à guerra, catástrofes naturais como terremotos, vulcões, tsunamis e radiação que vazou da usina em Fukushima

Você talvez já tenha sonhado em conhecer o Japão, não? Eu queria muito estar lá, desde 2005, quando conheci Leila Navarro e Cesar Souza, palestrantes de sucesso que lá fizeram eventos através do empresário Sergio Tinen.

Ver de perto uma nação que resistiu à guerra, catástrofes naturais como terremotos, vulcões, tsunamis e radiação que vazou da usina em Fukushima. Um povo que vive sempre encarando o caos como oportunidade de crescimento e significação da superação de fato.

Eu não mediria esforços para ter esta experiência de vida, ter esta marca na minha carreira como palestrante internacional, mas especialmente, poder aprender algo para a vida com uma gente tão evoluída.

Foi o que vivi nos 5 dias que passei por lá. Hoje, resolvi escrever este artigo para lhes contar o que pude experimentar e aprender com uma rápida estada no Japão, onde fiz palestra e treinamentos para centenas de pessoas.

Com mais de 20 anos realizando eventos internacionais, o empresário Sergio Tinen conquistou no outro lado do mundo, respeito e parcerias importantes com outros brasileiros e brasileiras de ação, que vivem no Japão. O nome do seu projeto era: os melhores do Brasil no Japão. Me senti lisonjeado e reconhecido.

Meu real interesse, foi levar conhecimento e mostrar o valor da capacitação no contexto comercial de todo e qualquer negócio. Como sou e sempre serei um profundo estudioso e prático na área de vendas, criei um plano de fazer um evento rápido – palestra de duas horas – seguida de treinamento de um dia inteiro de duração, para aquelas empresas ou empreendedores que quiserem um desenvolvimento maior.

Quando cheguei na terra do sol nascente, em 24/09, me emocionei com as pessoas, o respeito ao próximo, a extrema organização e excelente infraestrutura deste país. Fui envolvido pelos valores éticos e morais que prevalecem nas cenas do cotidiano e claro, aproveitando cada momento para fazer um paralelo com o mundo dos negócios.

Ao chegar e Nagoya e ver crianças indo sozinhas para a escola, fiquei encantado. Os mais velhos guiando os mais novinhos, crianças que como meu filho, de 6 anos, não precisam dos pais para leva-las à escola. Os colegas, alunos de outras sérias cuidam disso. Aliás, cuidam também da limpeza e da merenda escolar.

Descobri que todo mundo limpa suas coisas e lugares por onde passam ou vivem. Não existem garis no Japão. A aluno limpa a escola, o gerente de banco varre a calçada em frente ao banco. Foi o que me contou Silvia, uma amiga que fiz durante a viagem, a solícita e simpaticíssima.

Embalado pelo encantador clima de primeiro mundo, de sociedade evoluída e que valoriza o seu espaço no mundo, passei a ver com outros olhos as pessoas. Um japonês te entrega qualquer coisa e recebe algo que você lhe dá com as duas mãos. Isso é uma demonstração de respeito. É impressionante a quantidade de “por favor” e obrigado” que você ouve nos restaurantes, lojas, estabelecimentos comerciais em geral.

É diferente por que eles não fazem isso para vender ou lhe agradar artificialmente. Eles são assim. Aprendem isso no berço, a educação por completo, onde a base é o respeito ao outro. Aprendi muito, gravei muitos vídeos e fiz minhas anotações. As curiosidades desta viagem certamente irão temperar minhas novas palestras, por que tenho para mim, que é mirando os melhores modelos, que melhoramos.

Neste momento, em que escrevo este artigo, estou aqui no aeroporto de Osaka, aguardando o voo para São Paulo. Conheci Dubai na vinda e claro, me admirei com o luxo e com a beleza daquele oásis criado pelo homem, onde para muitos, o que ali foi feito, seria impossível. A soma da experiência de Dubai, coroada com a sequência da viagem, com a minha rápida passagem por 5 dias pelo Japão, foi uma grande realização. Acredite.

Compartilho com você este momento, para que sinta-se capaz de ter tudo aquilo que deseja. Que crie um mundo novo, mesmo quando o que se apresenta a você, é um deserto, inóspito e sem recursos. Que especialmente valorize tudo ao seu redor. Que tenha amigos novos, conheça pessoas de ação e que nunca desista de um sonho.

Sei que fiz amigos aqui, que vão deixar saudades. Abraços ao Roberto Martins da Bell Mart e em especial, a Silvia, que me acordou no ônibus da Emirates, para me dar um abraço final, carinhosamente, me desejar boa viagem. Dois brasileiros que vivem no Japão, que são exemplos de pessoas felizes, amigas, que venceram fora de suas zonas de conforto.

Obrigado ao Sergio Tinen, pela parceria e confiança e um especial abraço a todos que conheci, que convivi, nesta rápida mas intensa viagem.

Quero agradecer também a você, por ter lido este artigo (um pouco longo) até aqui. Se você gostou, se tirou proveito ou se essas poucas palavras te ajudaram a ter uma perspectiva diferente, compartilhe a ajude outros. É nesta ajuda mútua que construímos o inimaginável, como fizeram os japoneses.

Um grande e forte abraço!
Vamos virar o jogo, vamos continuar a construir o nosso futuro e o futuro dessa nação maravilhosa, DA NOSSA PÁTRIA AMADA BRASIL!

Osaka, 30/09/14 – 01:00 a.m.

 

Receba mais conteúdo de Marcelo Ortega em seu e-mail!

Topo

Hey! Não perca nossas novidades!

Se inscreva abaixo e receba os melhores conteúdos gratuitos para seu desenvolvimento, promoções, eventos online e muito mais!