Criatividade, Inovação e Tendências

Ser normal, ou não ser: eis a questão

Ser normal, ou não ser: eis a questão

Anormal é aquele que age de maneira contrária à ordem habitual, é o indivíduo que foge à norma

Se você fizesse seu trabalho de uma forma totalmente diferente da maioria de seus colegas de trabalho, o que eles diriam? Se você parasse de trabalhar numa terça-feira à tarde, depois de ter executado todas as atividades do dia pela manhã, e fosse curtir uma praia, ou fosse caminhar no parque, o que as pessoas diriam? Se você se propusesse a revolucionar o seu atendimento ao cliente, por exemplo, levar as compras dos clientes até o carro, ou ligar para um cliente dias depois de ter finalizado uma venda, com objetivo de avaliar o grau de satisfação dele, o que sua empresa acharia dessa ideia?

Você já percebeu que, quando nossas ações se diferenciam do comum somos chamados de  loucos? Anormal é aquele que age de maneira contrária à ordem habitual, é o indivíduo que foge à norma. Quando tentamos sair da mesmice e procuramos inovar, tal tentativa poderá provocar resistências e até ciúmes por parte das outras pessoas. E, também, acaba gerando dúvidas no próprio indivíduo que está tentando fazer as mudanças, ou seja, “será que estou sendo normal”? “O que as pessoas vão achar disso”? “Será que isso vai funcionar”? Essas dúvidas geram estados de divergência interior, e, então, você se limita e acaba não realizando as mudanças desejadas.

Existem vários exemplos de pessoas que decidiram sair do “normal” e influenciaram nações com suas atitudes, com suas crenças e invenções, entre elas: Luther King, Thomas Edison, Albert Einstein, Sergey Brin e Larry Page, Pach Adams, entre outros.

A maioria das pessoas prefere se adaptar ao habitual existente, pois, quem foge dos padrões tem que se acostumar a ouvir vários “nãos”, ser rejeitado, criticado e até humilhado. Ser diferente, criativo e inovador incomoda muita gente, pois, se você optar por sair da zona de conforto em seu trabalho, ou em qualquer outro contexto social de sua vida, você se destaca e brilha mais. Muitas pessoas preferem ficar na zona de conforto do que tentar algo novo. Sair da mesmice para inovar e fazer algo extraordinário realmente dá trabalho.

Há algumas décadas foi estabelecido o conceito de “normose”, associado a “patologia da pequenez”. Segundo alguns estudiosos no assunto a normose é a “doença de ser normal”: um conjunto de hábitos e atitudes considerados normais pelo consenso social, mas, na realidade são prejudiciais com o passar do tempo, pois levam a infelicidade, à doenças e até a perca do sentido da vida. Por exemplo, parece normal enganar alguém para conseguir alguma coisa já que boa parte das pessoas faz o que for preciso para conseguir o que querem. E nas empresas, parece normal deixar o cliente esperando horas e horas para ser atendido, tudo bem, a maioria das empresas não se preocupa com isso mesmo...e por aí vai.

Nem tudo que está dentro da “normalidade” é ruim, isso é óbvio. Mas, o objetivo desse artigo é alertar que, tem coisas que consideramos “normal”, mas, na verdade, é pura normose. Muitas vezes ficamos imersos dentro de uma zona de acomodação que nos deixa cegos para enxergar que paramos no tempo. É possível, sim, transformar nossos resultados, podendo contribuir consideravelmente com a nossa empresa, com a sociedade e, principalmente, com a realização de nossos sonhos. Certa vez, o psiquiatra Carl Jung disse que “só os medíocres aspiram à normalidade.” Medíocre é aquele que pouco ou nada contribui, ou seja, é uma pessoa que está na média, morna, pouco relevante, com ausência de qualidades extraordinárias, aquele que “não fede e não cheira”.

Perceba que grande parte das famílias e a sociedade em geral acredita que você tem que estudar, passar num concurso e garantir segurança financeira, ou, estudar incansavelmente, passar no vestibular e ser um médico, pois se assim for vão te dar mais valor. Mas, se você não seguir um determinado padrão, então é “anormal”.

Prezado leitor, quando insistimos em ser como os outros querem que sejamos, quando seguimos os rumos que a “normalidade” segue, podemos estar deixando de escutar nossa própria vocação, nossa missão, nossos reais motivos para sermos felizes.

Não deixe que a normose atrapalhe seu crescimento. Quando você segue o ritmo padrão da maioria, você deixa de ser você mesmo. Não abandone seus sonhos, inove, transforme e contribua para que seu mundo seja melhor. Todos nós possuímos um grande potencial que pode ser explorado, mas quando ficamos mergulhados na zona de acomodação, desligamos esse potencial...Pense nisso e seja “anormal”!

Receba mais conteúdo de Cersi Machado em seu e-mail!

Topo

Hey! Não perca nossas novidades!

Se inscreva abaixo e receba os melhores conteúdos gratuitos para seu desenvolvimento, promoções, eventos online e muito mais!