Atendimento

Falar, ouvir, ler e escrever

Falar, ouvir, ler e escrever

Atitudes essenciais como: falar, ouvir, ler e escrever são cada vez mais indispensáveis em um cenário onde o relacionamento com o cliente é o grande diferencial. Você costuma usar esses quatro itens com seus clientes?

Muita coisa tem se comentado sobre o perfil do novo profissional e as exigências do mercado de trabalho como: conhecimento de sistemas gerenciais, línguas estrangeiras, habilidades em informática, internet, conhecimentos específicos, etc.


Mas o que não podemos esquecer é que algumas habilidades que pareciam básicas, ou que obrigatoriamente tinham que fazer parte do “Kit de Primeiras Necessidades” de qualquer profissional, estão sendo negligenciadas, ou pouco valorizadas. Coisas essenciais como Falar, Ouvir, Ler e Escrever são cada vez mais indispensáveis em um cenário onde o relacionamento com o cliente é o grande diferencial.


Não me refiro ao falar e ouvir no sentido físico da palavra, mas sim no sentido de “comunicar”; existem muitas pessoas com necessidades especiais de audição e/ou fala que se comunicam melhor do que outros que não as têm, pois se concentram na comunicação, empenhando toda a atenção, reflexão, expressão corporal e outros detalhes que a situação exige.


Da mesma forma existe muita gente escrevendo sem a preocupação com aquele que lê, ou lendo sem a preocupação de entender o que está escrito. Olha que nem estou me referindo às redes sociais como por exemplo Facebook. Lá a utilização da língua portuguesa é “assassinada” por milhões de brasileiros, todos os dias.


O fato é que nos basta prestar atenção quando somos atendidos em lojas, restaurantes, hotéis e prestadoras de serviços para percebemos que, com as devidas exceções, a qualidade do “falar, ler, escrever e ouvir” está em níveis críticos.


Falar Bem: Sabemos que a qualidade, preço, garantia e características técnicas entre os produtos de uma mesma classe econômica estão cada vez mais padronizados. Nesse cenário o diferencial acaba sendo o serviço, o atendimento e o relacionamento com o cliente.


Fraca argumentação, dificuldade de dar respostas a questionamentos do cliente, vocabulário limitado, pronúncia errada, falta de atitude e má vontade no falar, acabam por comprometer o atendimento, a imagem do profissional e da empresa que ele representa.


Falar bem não é jogar ao vento um amontoado de palavras desconexas ou rebuscadas, e sim utilizar um vocabulário correto e de fácil entendimento para o interlocutor.


Ouvir Bem: Saber ouvir é a chave do bom relacionamento, do aprendizado, das vendas, do processo de liderança e de muitas outras questões ligadas ao sucesso profissional. Muita gente escuta, mas poucos ouvem, pois ouvir bem está relacionado com nossa atitude e disponibilidade em prestar atenção ao outro, desarmados de nossos preconceitos, imbuídos em entender, compreender os detalhes muitas vezes não óbvios da comunicação.


Aquele que tem pressa escuta pela metade, responde ao que não foi perguntado, explica pela metade e se comunica pela metade.


Ler Bem: Ler é um dos melhores exercícios para os neurônios, para quem deseja fazer a mente sair do automático e também uma atividade de muita importância na aquisição de cultura específica ou geral. Além disso o “ler bem” é a capacidade de compreensão do que muitas vezes está escrito nas entrelinhas, é a interpretação da mensagem.


Estamos na era da informação. Ler bem também significa buscar a informação certa, com base em pesquisas sólidas, sabendo como filtrá-la.


Escrever Bem: Se ler nos traz cultura, o escrever é uma forma de expressar nosso conhecimento.


Encaminhando um e-mail para um cliente, formatando um projeto, colocando uma ideia no papel, inserindo um post nas redes sociais, etc, a maneira como escrevemos faz parte de nossa imagem profissional. Conhecer a língua portuguesa, escrever de forma correta obedecendo às regras gramaticais demonstra profissionalismo, qualidade e eficiência.


Além do mais, a falta de tempo tem sido uma das preocupações de muitas pessoas. Por isto é necessário que saibamos escrever de forma clara, eficaz e de preferência tendo a preocupação com o tempo daquele que irá ler a informação.


Da mesma forma que temos que convencer quando nos comunicamos verbalmente, devemos convencer quando o fazemos através da linguagem escrita.


 Talvez este artigo seja um tanto quanto óbvio. Sabemos que é preciso falar, ouvir, ler e escrever bem, mas precisamos levar esta necessidade mais a sério e entender que, para transformarmos estas informações em habilidades, devemos praticá-las com afinco.


Afine-se para o sucesso, fale, ouça, leia e escreva bem!

Receba mais conteúdo de Fabiano Brum em seu e-mail!

Topo

Hey! Não perca nossas novidades!

Se inscreva abaixo e receba os melhores conteúdos gratuitos para seu desenvolvimento, promoções, eventos online e muito mais!